Este Blog permanece ativo 24 horas por dia e somente informa os que aqui chegam, com assuntos que circulam pela internet e jornais. Não categoriza nem afirma isso ou aquilo como verdade absoluta. Não pretende desenvolver uma doutrina, nem convencer ninguém. Mas apenas que possamos refletir em assuntos importantes de nosso dia-a-dia. Portanto, tudo que for postado são de conteúdo informativo, cabendo a cada um ter suas próprias conclusões.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Banho de sangue

Multiplique por três o número de mortos no presídio de Manaus. É muito, é escandaloso? Pois 164 mortos é a média diária de homicídios no Brasil. E isso não nos escandaliza. Reagimos quando acontecem no mesmo lugar. Ou quando ocorre a invasão de uma casa em Campinas no réveillon por um tresloucado a matar todos, inclusive o próprio filho de oito anos. O banho de sangue não é apenas o do presídio manauara; é o dia-a-dia do nosso país tropical, habitado pelo brasileiro cordial de que falou Sérgio Buarque de Hollanda.
Foi uma guerra entre facções. O PCC, importado de São Paulo para a Amazônia e a FDN – a Família do Norte – que mostrou quem manda, matando 56 integrantes do grupo inimigo. A polícia decidiu não intervir, por decisão sábia do Secretário de Segurança, um delegado federal. Se interviesse, seria responsabilizada pelas mortes, tal como no Carandiru, em 1992, em que os PMs foram condenados a mais de 600 anos de prisão. A síndrome do Carandiru poupou a polícia de mais um ônus, embora já a estejam criticando por não intervir. Paga por ir e paga por não ir.
Aliás, é incrível essa nossa preferência por bandidos e nossa antipatia em relação à polícia. Paradoxalmente, reclamamos da falta de segurança. Parece uma posição psicótica. Aos noticiarmos a ação de bandidos, não poupamos para eles adjetivos elogiosos. “Numa ação audaz, assaltaram o carro forte”; ou: “Quadrilha especializada em explosão de caixas eletrônicos”. No país de amedrontados e amadores, audaz e especializado são elogios raros, em geral reservados para bandidos, nas nossas páginas e microfones. Em vez de quadrilha de ladrões de automóveis, a notícia sai assim: “Quadrilha especializada em roubo de automóveis.” Os bandidos agradecem e devem pôr os recortes na parede.
O povo está acuado e amedrontado. As autoridades recomendam que não reajam. A leis desarmou as pessoas de bem, impedindo o elementar direito de defesa e dando tranquilidade ao bandido, enquanto a polícia carece de meios e de apoio dos governos e dos meios de informação. As leis, feitas por nossos representantes, mais parecem ter sido feitas por representantes de foras-da-lei. Depois do presídio de Manaus, ainda há quem sugira soltar condenados, por causa da superlotação. Pois os que estavam no semi-aberto  levaram as armas que mataram.  Só tem um lugar em que o bandido pára de assaltar e matar: atrás das grades. Para isso, é preciso perguntar de que lado estamos. Pois o banho de sangue pode aumentar.
Sónoticias

sábado, 24 de dezembro de 2016

O Paradoxo da Igualdade - Duríssimo Golpe

O Conselho Intergovernamental de Cooperação Nórdico, do qual fazem parte Noruega, Suécia, Finlândia, Dinamarca e Islândia, decidiu deixar de financiar o Instituto Nórdico de Pesquisas de Gênero, o NIKK, após o jornalista, comediante e sociólogo, Harald Eia, rodar um longo, genial e devastador documentário, “Hjernevask” (“Lavagem de Cérebro”), que mostrou a manipulação e a falta de base científica da “ideologia de gênero”, base “intelectual” do feminismo agressivo.

Harald estava intrigado com o fato de porque, apesar de todos os esforços dos políticos e engenheiros sociais para eliminar os “estereótipos de gênero”, as garotas seguiam optando por profissões “femininas” -enfermeiras, cabeleireiras, etc.-, enquanto os homens seguiam atraídos por carreiras “masculinas” -técnicos, trabalhadores da construção civil, etc-.

As políticas de igualdade de gênero em seu país fizeram com que a tendência fosse inclusive mais acentuada. Estas políticas sempre defenderam que os sexos são papéis que se adquirem pela cultura e o meio, isto é, que não se nasce homem ou mulher, senão que se “torna”.

Para seu documentário, Harald fez algumas perguntas inocentes aos principais pesquisadores e cientistas do NIKK. Depois tomou as respostas e transmitiu-as aos cientistas, líderes em sua área, em outras partes do mundo, sobretudo no Reino Unido e nos Estados Unidos, pedindo-lhes seu parecer sobre os resultados de seus pares noruegueses.

Como era de esperar, os resultados da “falsa ciência” provocaram regozijo e incredulidade entre a comunidade científica internacional, sobretudo porque se baseava em pura teoria, não apoiada por nenhuma pesquisa empírica.

Harald, após filmar essas reações, regressou a Oslo, e mostrou aos pesquisadores do Nikk. Resultou que, quando se defrontaram com a ciência empírica, os “pesquisadores de gênero” ficaram sem fala, e totalmente incapazes de defender suas teorias em relação a revisão da realidade.

A falsidade foi exposta ao ridículo diante de toda a audiência de televisão e as pessoas começaram a perguntar por que era necessário financiar, com 56 milhões de euros do dinheiro dos contribuintes, uma ideologia baseada em pesquisa que não tinha credenciais científicas em nenhum lugar.




sexta-feira, 14 de outubro de 2016

O que Deus diz sobre a sensualidade

Antes, vamos saber o que disse Mary Quant sobre a sua invenção, a minissaia: 

“Foi com o propósito de tornar o sexo mais disponível na parte da tarde. Mini roupas são um símbolo de garotas que querem seduzir um homem. A minissaia é sexy. A moda é feita para provocar o desejo.”

Comentário de Pinduca Pereira Soares (DJ Pinduca) na Folha de S. Paulo - o maior jornal do Brasil - sobre um dos assuntos mais polemicos dessa semana naquele país, O ESTUPRO. 

Este comentário foi baseado na Bíblia porque, após uma pesquisa sobre estupro apontar como opinião de 65% dos entrevistados brasileiros que as mulheres que vestem-se com roupas sexy (sensuais) merecem ser estupradas, e na internet muitas pessoas estarem defendendo este tipo de roupa e afirmando que isto não faz um homem cometer estupro.  
Mulher deve usar roupas decentes. Bíblia NTLH - 1 Timóteo 2:9
Quem pratica a sensualidade não será salvo, não irá para o céu.
Bíblia NTLH - Gálatas 5:19 a 21
A mulher não deve: confiar em sua beleza, ser sensual, se prostituir.
Bíblia - Ezequiel 16:15
Quem olha para uma mulher e deseja possuí-la já cometeu adultério.
Bíblia NTLH - Mateus 5:28
A sensualidade tira o entendimento.
Bíblia NTLH - Oséias 4:11
O cristão não deve viver como vivem as pessoas deste mundo.
Bíblia NTLH - Romanos 12:2
O corpo é templo do Espírito Santo. Cristo morreu por nós. Devemos
glorificar a Deus com o nosso corpo.
Bíblia NTLH - 1 Coríntios 6:18 a 20
A beleza acaba, mas a mulher que respeita Deus será elogiada.
Bíblia NTLH - Provérbios 31:30
Devemos ser santos em tudo que fazemos, porque Deus é santo.
Bíblia NTLH - 1 Pedro 1:15
A mulher não deve procurar ficar bonita usando enfeites, penteados
exagerados, jóias ou vestidos caros. A beleza deve estar no coração, a qual tem muito valor para Deus.
Bíblia NTLH - 1 Pedro 3:3 e 4
Deus não nos chamou para vivermos na imoralidade, mas para sermos completamente dedicados a Ele. Portanto, quem rejeita esse
ensinamento não está rejeitando um ser humano, mas a Deus.
Bíblia NTLH - 1 Tessalonicenses 4:7 e 8
A moda e o mundo acabarão, mas quem faz a vontade de Deus viverá eternamente, irá para o céu.
Bíblia NTLH - 1 João 2:17
*******
Deus refere-se, especificamente, ao traje decoroso feminino
(modéstia no vestir), porque os homens, em geral, são muito mais
afetados pelo que eles veem, do que as mulheres; como uma regra.
Mulheres, em geral, são afetadas por uma combinação de coisas,
diferentemente, dos homens. O desejo sexual é imediatamente
despertado nos homens pelo olhar.
A mulher não é responsável por prevenir o desejo sexual do homem,
nem isto lhe é exigido, porém ela não deve provocar ou estimular
este desejo.
O propósito de Deus não é fazer com que as mulheres fiquem
excessivamente introspectivas e autoconscientes sobre si mesmas,
contudo, produzir um saudável equilíbrio consciente da necessidade
de se vestir para a glória dEle; para pensar como elas se vestem.
Vestir-se modestamente não requer que a mulher esteja fora da moda; isto não se opõe a vestir-se elegantemente. Existe diferença entre, vestir-se com elegância e vestir-se sexualmente provocante.
Não são a mesma coisa.
Há uma diferença importante no vestir-se, de um lado, com modéstia, asseio e beleza e, do outro, no vestir-se com sensualidade e imodestamente.
Um homem adquirido por uma mulher através de roupas sexy, é
improvável que lhe fará muito bem como esposo. Pois, um homem que é lascivo antes de se casar, vai continuar lascivo depois de casado.
Lascívia é adultério, sexo fora do casamento, pornografia e malícia.
Excitar e atrair homens através de roupas sexy faz parte do trabalho das prostitutas, por mais que esse argumento não seja fácil de ouvir pelas mulheres sérias.
A mulher pode ser sensual no momento correto (intimidade do casal), no local correto (cama do casal), e com a pessoa correta (o esposo). Exibir sensualidade é um prelúdio ao sexo.
Ser sensual aleatoriamente, é estimular uma pessoa estranha ao sexo; além de deselegante, é antiético, indecoroso e pecado.
Exibir o corpo de forma sensual é muito natural para o mundo que
não respeita Deus.
Pois, questões como virgindade, adultério e infidelidade não são problemas para as relações entre não cristãos. Mas para cristãos, o estímulo sexual oferecido por certas roupas e atitudes, é ofensivo e estimula a promiscuidade, bolinação, fornicação, adultério e infidelidade – todos pecados sexuais.
O segundo versículo da lista acima, diz que quem pratica a sensualidade não será salvo, não irá para o céu (Gálatas 5:19 a 21). Então, se tal desejo sexual é pecado, vestir-se intencionalmente de maneira que provoque ou estimule este pecado, com roupas sexy, também deve ser pecaminoso.
De qualquer modo, a sensualidade da mulher não deve ser usada como desculpa para o homem cometer pecados sexuais, pois assim ele também estará desrespeitando Deus.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Agência Espacial Russa afirma que o homem nunca pisou na lua: “Tudo foi feito em estúdio”


“A KGB sempre soube, desde a década de 1960, que os pousos na Lua nunca ocorreram, como também era conhecido que a viagem de Yuri Gagarin também foi falsificada por nosso próprio governo na época.”
Os documentos poderão provar que o programa espacial americano “levou o mundo a uma série de enganos”, afirmou o ex-coronel da KGB que está prestes a lançar o Programa Lunar da Rússia.
RFSA (Agência Espacial Federal Russa ) promete atestar que os EUA nunca chegaram à Lua, informou a agência de notícias RIA Novosti.
“A Rússia está prestes a embarcar em uma missão tripulada inédita. O mundo deve saber que isso nunca foi feito antes. Nada será feito em um estúdio de filmes de Hollywood, como a América vem tentando esconder durante os últimos 47 anos “, disse Komarov.
O ex-coronel da KGB chama o Programa Espacial Americano de enganoso: 
“Paradigmas precisam ser quebrados e a ciência necessita superar conceitos populares que foram construídos através de fraudes”
Romanov ainda garante que:
“O Programa Espacial Lunar russo será a primeira tentativa na história da humanidade a tentar um pouso real na Lua”, explicou.
A forma como os governos procederam até o momento não é algo que possamos recriminar, porém as capacidades técnicas não estavam presentes no momento”, admitiu o ex-coronel.
O dossiê informa que a viagem de 1969 não passa de uma crença popular e contesta que não havia meios tecnológicos (por parte dos russos) para contestar os americanos na época.
Funcionários do alto escalão russo estavam conscientes de que o feito não era possível com a tecnologia disponível na época, reivindica o Romanov, que espera lançar a primeira missão tripulada à Lua até 2020.
luavento
Teóricos da conspiração afirmam que durante o primeiro pouso na Lua (que foi transmitido ao vivo na TV), os telespectadores puderam ver claramente a bandeira americana sacudindo como que se existisse vento por lá.
Após Neil Armstrong e Buzz Aldrin cravarem a bandeira americana no chão, imagens mostram a bandeira ondulada, como se estivesse sobre efeito de uma brisa.
O fato é que não há ar na atmosfera da lua, e, portanto, qual vento teria causado os efeitos na bandeira?
Um ex-cientista disse que na década de 60 não havia fotografia digital e de acordo com laudo de técnicos e engenheiros da Kodak e Fuji (as maiores fabricantes de filmes fotográficos do mundo), não existe conjunto celulóide (filme) capaz de suportar variações de temperatura no – 270º a 140º graus C.
“Seria impossível tirar fotos num lugar desses.” disse o ex-cientista.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Gastamos muito dinheiro para tratar pessoas normais, diz psiquiatra.

Psiquiatra norte-americano Allen Frances

Milhões de pessoas sadias estão sendo prejudicadas com diagnósticos psiquiátricos equivocados e tratamentos desnecessários enquanto os que têm doenças mentais verdadeiras não têm acesso às terapias que precisam.

O alerta vem do psiquiatra norte-americano Allen Frances, 73, professor emérito na Universidade Duke, na Carolina do Norte (EUA), autor do livro "Voltando ao normal" (Versal Editores), recém-traduzido para o português.

Frances, que participa na quinta (15) de palestras no Rio de Janeiro sobre a sua obra, diz que a tendência atual é de uma sociedade em que todos, em algum momento, sofrerão de algum transtorno.

Sua crítica é centrada particularmente no DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), de 2013, um guia tido como a "bíblia da psiquiatria".

Frances liderou a versão anterior, o DSM-4, cuja diretriz foi tentar conter a inflação de diagnósticos, que já se espalhava na psiquiatria e na medicina em geral.

Folha - " O sr. diz que há uma tendência crescente de medicalização da vida, de excesso de diagnósticos psiquiátricos. Como voltar ao normal?

Allen Frances - Temos de aceitar que nem toda angústia humana é transtorno psiquiátrico e que não há uma pílula para cada problema. Muitas emoções e comportamentos são simplesmente parte da natureza humana.

Por exemplo: as pessoas no Brasil estão enfrentando neste momento muitos desafios na economia, na política, na saúde e nas questões sociais. Isso compreensivelmente causa angústia e ansiedade. Mas as soluções estão em melhores políticas, mais coesão social, menos corrupção e na nossa resiliência natural, não na medicalização desnecessária ou em pílulas mágicas.

Qual é a sua maior preocupação com o DSM-5? Corremos o risco de todos sermos considerados doentes mentais?

O DSM-5 expandiu ainda mais o que já era um sistema de diagnóstico muito vagamente definido. Tristeza normal, como o luto, por exemplo, torna-se transtorno depressivo maior; comer em excesso, torna-se transtorno da compulsão alimentar; ataques de birras de crianças podem se tornar "transtorno do temperamento irregular"; o esquecimento na velhice passa a ser transtorno neurocognitivo leve; e as crianças normais são diagnosticadas com déficit de atenção e hiperatividade.

Qual a influência que as grandes farmacêuticas exercem nessa tendência?

As multinacionais farmacêuticas não têm qualquer influência direta sobre as decisões do DSM, mas aproveitam qualquer oportunidade para criar novas desordens psiquiátricas. Se existir brecha no DSM para alguma coisa ser mal utilizada, isso vai acontecer. Eu acredito, por exemplo, que as farmacêuticas sejam as responsáveis por essas falsas epidemias de TDAH (transtorno do déficit de atenção e hiperatividade) e transtorno bipolar.

Como frear isso?

A indústria do tabaco foi domada quando o ultraje público se tornou mais poderoso do que seus grandes lobbies e patrocínios a políticos. A ganância das farmacêuticas está agora criando o mesmo tipo de indignação.

Essa nossa cultura hedonista, que busca o bem-estar a qualquer preço, também não tem participação nessa tendência?

Os maiores contribuintes para a "cultura da pílula" são as farmacêuticas, que empurram suas drogas, e os médicos descuidados ou com excesso de trabalho. Mas os pacientes também são responsáveis porque esperam uma solução medicamentosa rápida para os problemas da vida, que são complicados. A medicação psiquiátrica é essencial para tratar os verdadeiros problemas psiquiátricos, mas não são eficazes para os problemas cotidianos enfrentados pelas pessoas e pela sociedade. Um diagnóstico psiquiátrico preciso pode melhorar muito a vida de uma pessoa. Mas um impreciso provoca estigma e leva a tratamentos desnecessários.

O sr. diz que as pessoas que têm transtornos psiquiátricos graves estão sendo ignoradas. Como é isso?

Há um paradoxo preocupante. Gastamos muito dinheiro com tratamento para as pessoas normais, os "doentes de preocupação", que vão ser prejudicados por essas drogas, enquanto faltam recursos para quem está de fato doente e desesperado por tratamento. Dois terços dos que têm depressão severa não são tratados, e muitos dos que sofrem de esquizofrenia acabam na prisão ou nas ruas, sem moradia.

Remédios controlados são prescritos por médicos. Então, se há excesso ou má indicação, eles são responsáveis...

Os médicos precisam ser extremamente cautelosos na prescrição de quaisquer opiáceos ou benzodiazepínicos. Ele podem fornecer alívio de curto prazo da dor e da ansiedade, mas com enorme risco de morte e invalidez.

São crescentes os diagnósticos de doença mental em crianças. Elas estão mais perturbadas do que eram antes ou há excesso de diagnóstico?

A natureza humana é constante, os hábitos de diagnóstico é que são muito inconstantes. As crianças são as mais difíceis de diagnosticar porque elas mudam muito de semana para semana e respondem fortemente a circunstâncias externas.

O diagnóstico deve exigir um longo período de observação, muitos informantes, e tentativas de aconselhamento antes de considerar a medicalização.

Folha

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Daniel 4


10 Eis, pois, as visões da minha cabeça, estando eu na minha cama: Eu estava assim olhando, e vi uma árvore no meio da terra, cuja altura era grande;
11 Crescia esta árvore, e se fazia forte, de maneira que a sua altura chegava até ao céu; e era vista até aos confins da terra.
12 A sua folhagem era formosa, e o seu fruto abundante, e havia nela sustento para todos; debaixo dela os animais do campo achavam sombra, e as aves do céu faziam morada nos seus ramos, e toda a carne se mantinha dela.

Você sabe de onde vêm os minérios necessários para fabricação dos smartphones?

A young miner Olivier (DONT USE REAL NAME) about 14-15 years old (he did not know) works with other miners in the mining town of Pluto in Ituri Province to extract rock and sand from a large pit which has taken over a year to excavate. The miners are made up of many different people from all over Congo who come to seek their fortune. Fixer Pastor Marrion Pudongo +243999836650 marrionudongo@yahoo.fr

O tempo todo estamos utilizando smartphones e notebooks. Por meio desses aparelhos, temos quase sempre a “falsa” sensação de que estamos, de fato, conectados com o mundo. Seja porque temos um amigo na europa, ou um contato no oriente, fica parecendo que, de fato, o mundo é global para todos.
Mas, será que você saberia dizer alguma coisa sobre a vida das pessoas que trabalham na extração de minérios que são necessários para se fabricar nossa tecnologia de cada dia? Ou desse smatphone que você utilizou hoje em algum momento do dia.
Pensando nisso o fotojornalista britânico Marcus Bleasdale resolveu ampliar nossa visão do mundo por meio de suas fotos, que são basicamente de crianças, homens e mulheres que vivem na República Democrática do Congo, juntos trabalham para colher os minerais essenciais para a produção de smatphones.
O que pouca gente imagina é que essas pessoas trabalham em condições terríveis, colocando diariamente suas vidas em risco para que a nossa seja mais “conectada”, por meio da extração de minérios para fabricação de smatphones.
Miners eat lunch from a communal bowl in the mining town of Pluto in Ituri Province. They work here to extract rock and sand from a large pit which has taken over a year to excavate. The miners are made up of many different people from all over Congo who come to seek their fortune. Fixer Pastor Marrion Pudongo +243999836650 marrionudongo@yahoo.fr
Não foi fácil conseguir produzir e divulgar essas imagens sobre extração de minérios utilizados para fabricação de smatphones. Desde 1999 Marcus Bleasdale está em negociação com as empresas que trabalham nesse seguimento, que, certamente, não fazem muita questão de escancarar essa realidade para o mundo. O resultado do projeto foi publicado com título The Price of Precious na edição comemorativa de 125 anos da revista National Geographic.
“Toda a indústria tem que chegar a um ponto maduro, onde existem muitos mais minas que podem ser classificadas como minas verdes. E uma vez que ocorra essa massa crítica, então eu realmente sentirei que o povo congolês vai ver a diferença para aECONOMIA LOCAL. É apenas chegar a esse ponto de inflexão” conta Marcus Bleasdale a respeito da extração de minérios para fabricação de smatphones.
Vejam as Fotos
Miners work to extract soil and rocks from the large 500 meter pit in Baru, Mongbwalu. The gold in this valley was discovered in November 2012 and since then thousands of workers and traders and soldiers have arrived to look for their fortune. The owner of the land has sold his land in sections of 3 meters by 6 meters for 250 USD each section. Access to Gold has been the main reason for the conflict in ituri province. Fixer Pastor Marrion Pudongo +243999836650 marrionudongo@yahoo.fr
Miners and Traders cross the flooded river to the Gold mine in Baru, Mongbwalu. Recently discovered it has over 3000 miners working there extracting gold. Many of them are soldiers who have deserted and come to look for money. Whole families have relocated to be close to the mine. Fixer Pastor Marrion Pudongo +243999836650 marrionudongo@yahoo.fr
Child Miners deep in rebel controlled area Bavi look for gold. This gold is then smuggled to Uganda and sold to Ugandan military in exchange for weapons. The UN rates Cobra as a gun for hire and it seems he is in collusion with some Congolese FARDC troops and Intelligence officers to keep control of the mines at any cost to protect the illegal earning of the Congolese soldiers. Fixer Pastor Marrion Pudongo +243999836650 marrionudongo@yahoo.fr From the UN panel of experts report 2012 FRPI controls the gold mining site of Bavi from where, according to an ex-FRPI combatant and inhabitants of Bavi, the rebels generate profits through illegal taxation and the direct sale of gold. According to traders in Bunia, gold from Bavi is of superior quality in the region, which makes it easy to recognize. The main buyers are traders from Bunia and Butembo. FRPI also sells gold directly to Ugandan armed forces officers posted along the Congolese border. A regular client, cited by Congolese armed forces, militia members and a Lendu community leader, is a former Ugandan armed forces officer, Alex Mugisha. In exchange for gold, he has delivered arms and munitions to FRPI at the Semliki border crossing.
Miners in the mining town of Pluto in Ituri Province extract rock and sand from a large pit which has taken over a year to excavate. Then they filter the crushed rock through towels to extract the gold dust. The miners are made up of many different people from all over Congo who come to seek their fortune. Fixer Pastor Marrion Pudongo +243999836650 marrionudongo@yahoo.fr
A child soldier of the Mai Mai in Kanyabayonga during an offensive against the CNDP
Displaced flee from Rutshuru towards Goma as the town is attacked by rebel forces

FonteNational Geographic.
ImagensMarcus Bleasdale / National Geographic.

domingo, 15 de maio de 2016

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Fim dos Tubos, de Oxigênio para Mergulho


O novo desenvolvimento do designer sul-coreano Jon Dzhebyuna, a máscara de oxigênio, o que lhe permite respirar debaixo d'água por até 45 minutos e mergulhar a uma profundidade de 4,5 metros.
Com o Triton, este é o nome do dispositivo, você pode esquecer os cilindros de oxigênio pesados ​​utilizados em mergulhos. O Triton opera com base no princípio das brânquias de um peixe, permitindo extrair oxigénio a partir da água.



Usar o dispositivo é bastante simples.  A água passa através de filtros especiais e um compressor à bateria, usa o oxigênio da água.
Os desenvolvedores dizem que no futuro poderão acoplar uma câmara ao dispositivo para armazenar o oxigênio recolhido, o que, sem dúvida, aumentará o  tempo de mergulho. Nós só estamos no começo, e em breve vamos ter um dispositivo que permitirá  mergulhar ainda mais fundo.